quinta-feira, março 28, 2013

Sobre o patético pinóquio

A minha ideia era não assistir à entrevista de ontem com o Sócrates. Já esperava que ele mantivesse o discurso (narrativa?), era certo que iria sentir que estava a viajar no tempo, já sabia que uma doença assim não se cura de um dia para o outro, mas foi mais forte do que eu! Não consegui, sempre tive assim um interesse estranho por mentirosos compulsivos e isto deve-se em parte ao facto de serem os únicos palhaços que me fazem rir!

Ontem por momentos fiquei ali na dúvida entre a mitomania e mentira compulsiva, mas rapidamente percebi que o diagnóstico mais provável seria a pseudolalia porque aquilo já não vem de agora e ele próprio acredita no teatro todo que tem vindo a fazer! (Curiosa a forma escolhida pela RTP para celebrar o dia do Teatro).

A forma como ele se faz de cachorrinho que foi levado a cair numa cilada (embuste?) é de ir às lágrimas e até para mim que acredito e me comovo com quase tudo, é patética!

Não nos podemos esquecer que o Coelhinho e o Pinóquio andaram na mesma escola da vigarice política, são iguais!




3 comentários:

  1. É desesperante. Mas ainda mais desesperante é o que ainda está para vir...

    ResponderEliminar
  2. Nem consegui acabar de ver! É demais!
    Maria

    ResponderEliminar