sexta-feira, janeiro 15, 2016

Cancro da mama, uma luta que é de todos.



Todos os anos, surgem 6.000 novos casos de cancro da mama em Portugal. 16 novos casos por dia, 16 novas histórias. Apesar de não ser dos cancros mais letais, o cancro da mama continua a ter uma alta incidência e uma taxa de mortalidade elevada, sobretudo nas mulheres.

Esta luta trava-se no feminino, com mulheres conscientes da realidade, que não temem promover a mudança e quebrar tabus. São mulheres que, diariamente, assumem papéis semelhantes – mães, filhas, irmãs, amigas, esposas – mas não têm o mesmo acesso ao sistema de saúde. E, para mudar, temos todos de fazer a diferença.

A Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC) lançou uma petiçãopública para levar à Assembleia da República, com vista a conseguir uma discussão em plenário sobre a não equidade que, actualmente existe no acesso ao rastreio e tratamento do cancro da mama, a nível nacional.

Esta Petição, que será entregue na Assembleia da República em fevereiro de 2016, pretende atingir os seguintes objetivos:

1. O acesso equitativo ao programa de rastreio de base populacional do Cancro da Mama em todo o país;

2. A garantia de que, em casos de suspeita clinicamente demonstrada, exista acesso em tempo útil a um serviço hospitalar com capacidade de diagnosticar e tratar os doentes;

3. A garantia de acesso aos melhores tratamentos disponíveis, nomeadamente os mais inovadores e eficazes, nas mesmas condições que nos outros países da União Europeia e sem discriminação geográfica nacional. Isto inclui acesso a cirurgias, radioterapia e medicamentos de comprovada eficácia, conforme recomendações internacionais, dentro dos tempos clinicamente estabelecidos;

4. Garantia de que os doentes tenham acesso a toda a informação existente sobre o cancro, nomeadamente: hospitais, serviços, especialistas, medicamentos, meios complementares de diagnóstico, investigação científica, apoios sociais e toda aquela que julguem relevante ou importante para o seu caso particular;

5. Os cidadãos, doentes ou familiares possam ter voz activa nas decisões públicas sobre o Cancro.

E é por esta luta, que infelizmente cada vez mais conhecemos de perto, que vos peço que tal como eu assinem e partilhem a Petição pela Equidade no Cancro da Mama!

Sem comentários:

Publicar um comentário